Notícias

Fotodepilação

Curiosidades sobre a fotodepilação

Compartilhe:
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInShare on TumblrPin on PinterestEmail this to someone

Com o verão, a busca pelo corpo ideal se torna ainda maior. Sobretudo porque com as altas temperaturas e a proximidade do Carnaval, todos querem exibir sua pele e músculos sem constrangimentos. Afinal, é muito desconfortável querer usar um biquíni lindo e não poder por conta de irritações da pele causadas pela depilação na lâmina. Ou então, no caso dos homens, querer mostrar um peitoral pelo qual trabalhou-se um bom tempo e não poder, por conta da vergonha de exibir também as costas com excesso de pelos. Para evitar esses problemas e estar apta (ou apto) a se sentir bem em qualquer época do ano, uma alternativa pode ser a fotodepilação.

Mas as pessoas ainda têm muitas dúvidas sobre o procedimento estético. Ele realmente retira os pelos definitivamente? Pode ser aplicado em qualquer pessoa? Por isso, listamos aqui um série de dúvidas comuns a quem pretende realizar a fotodepilação, para que você não tenha mais medo.

Fotodepilação dói?

A resposta é: depende. Cada pessoa tem uma resposta diferente à sensibilidade, além de que algumas áreas do corpo são mais sensíveis que outras. Em geral, uma pequena fisgada é sentida. Mas, ainda assim, a fotodepilação é menos agressiva que o laser. Logo, as dores não são intensas e são totalmente suportáveis.

A fotodepilação é definitiva?

A resposta para esta pergunta também depende de alguns fatores. A Luz Intensa Pulsada (LIP) enfraquece gradualmente os pelos, até que as células responsáveis pelo seu crescimento sejam destruídas. Entretanto, como o enfraquecimento é focado na melanina, a luz vai agir melhor em pelos grossos e mais escuros. Desta maneira, pelos mais finos ou claros podem não ser eliminados definitivamente – ou, pelo menos, tão facilmente.

Ainda assim, os pelos podem voltar. Normalmente, é necessário realizar novas sessões de seis meses a um ano depois. Em geral, 80% das mulheres conseguem eliminar ou ao menos diminuir os pelos. Deve-se levar em conta que fatores como a genética e o metabolismo podem interferir no resultado.

Ou seja: para saber se o resultado desejado com a fotodepilação vai ser alcançado, é necessário acompanhar cada caso como único. Porém, na grande maioria das vezes, o resultado é bastante satisfatório.

Qualquer um pode fazer a fotodepilação?

Não. Pessoas com a pele bronzeada, com vitiligo ou lúpus, gestantes e lactantes não estão indicadas ao procedimento, por serem mais suscetíveis à hipo ou hipercromia, que são alterações na coloração da pele. Por ser utilizada a Luz Intensa Pulsada, também não é recomendado para pessoas que estejam tomando medicamentos que aumentem a fotossensibilidade.

E para quem ela é indicada?

Para aqueles que possuem pelos indesejados e/ou casos de foliculite pilosa (pelo inflamado). Como já foi mencionado, a maior indicação é para aqueles que possuem pelos grossos e escuros, principalmente com pele clara. Entretanto, ela pode ser utilizada em qualquer tonalidade de pele e qualquer tipo de pelo, pois a LIP pode ser adaptada às condições do paciente.

Posso aplicar a fotodepilação em qualquer parte do corpo?

Áreas mais sensíveis do corpo, como o ânus, pálpebras e ao redor dos olhos, além do saco escrotal, não podem receber a fotodepilação por serem mais suscetíveis a reações indesejadas. Do resto, não existem mais restrições.

Tudo é realizado em apenas uma sessão?

Não. Um resultado perfeito leva um certo tempo para ser obtido. Normalmente, são necessárias seis sessões para que se obtenha uma redução significativa nos pelos. Porém, logo nas três primeiras semanas após a primeira sessão, já é possível perceber mudanças. Há um período de intervalo necessário que é de aproximadamente um mês entre uma sessão e outra. E, caso necessário, o tempo de retoque vai de quatro meses até dois anos a partir da última sessão.

A fotodepilação pode causar algum efeito colateral?

Como a LIP não é tão agressiva, as chances de haver problemas consequentes à fotodepilação são menores, porém ainda existentes. Nos primeiros sete dias seguintes ao procedimento, podem surgir dores, irritações, inchaços, formação de feridas e pequenas lesões. Podem acontecer queimaduras e bolhas, mas isso só ocorre quando a pele não consegue suportar sequer a LIP, que já é mais branda se comparada ao laser. Nestes casos, um tratamento médico específico é requerido.

fotodepilação

Deve-se aguardar um certo período de tempo depois da fotodepilação para poder se bronzear

O que fazer depois da fotodepilação?

Logo depois de realizar a fotodepilação, é recomendado que se evite a exposição ao sol, pelo menos no horário de maior incidência de raios UV – entre 8h e 17h. Isso é ainda mais necessário se, na região onde o procedimento foi aplicado, tiver ocorrido vermelhidão. E, como sempre, é recomendado o uso de filtro solar com fator de proteção a partir de 30. Tomar sol fora do horário recomendado não é adequado em nenhuma condição, mas se a sua intenção é se bronzear, o recomendado é aguardar pelo menos a vermelhidão passar.

Antes de se submeter à fotodepilação, passe em uma dermatologista

Apesar de não haver uma regra que defina o tipo de profissional capacitado a realizar a fotodepilação, é importante consultar antes um dermatologista. Ele irá avaliar a sua pele e definir se ela está apta ou não para o procedimento (lembrando que pessoas com a pele bronzeada não podem fazer a fotodepilação, para evitar problemas futuros).

Fotodepilação no Rio de Janeiro

Você tem interesse em realizar a fotodepilação? A Clínica Inova, clínica de cirurgia plástica no Rio de Janeiro, oferece não só esse, mas uma série de outros procedimentos plásticos e estéticos. Entre em contato conosco e marque já a sua consulta. Sinta-se mais confiante em exibir seu corpo, na praia, na piscina e onde você quiser!

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário!

0 Comentários

Comente

Desenvolvido por Fizzy Marketing Digital